Noticias

Ingrediente musical

Tomar café no Brasil é praticamente um rito cultural. A bebida sempre esteve presente nos saraus, encontros literários, vernissages, teatros e outros espaços. É muito comum a associação do café com a arte – já que a beleza estética dos grãos, o cultivo, o seu aroma inconfundível e o prazer dos encontros que o produto proporciona é fonte de inspiração de escritores e artistas, como Portinari, que ficou conhecido como o pintor do café. O grão o inspirou tanto para a criação de suas telas quanto dos poemas, que hoje compõem um lado quase desconhecido da obra do artista.

Além das telas, da literatura, do cinema, o café é também citado em muitas letras de música de compositores brasileiros consagrados como o sambista Noel Rosa, um dos primeiros a trazê-lo para suas canções. Em 1935, ele lançou Conversa de Botequim – uma música em que o narrador principal faz diversas exigências a um garçom e pede logo no início para lhe trazer uma boa média, forma como era conhecida a dose de café na época.

A lista de artistas e bandas que levaram o café para suas músicas é grande: Chico Buarque, Jorge Benjor, Skank, Marisa Monte, João Donato, Tulipa Ruiz e Lulu Santos, entre outros que também registraram o café em canções de diversos estilos da MPB, como o samba, a Bossa Nova, a música sertaneja e até o pop.

Para conhecer um pouco do universo destas canções que exploram o café como tema ou ao menos o registram em suas letras, vale visitar o site do Museu do Café de Santos. A página traz um play list selecionado com canções que remetem o ouvinte a uma boa xícara de café e aos momentos que ela proporciona.

O grupo de Jazz, “Pó de Café” de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, formado em 2008, é uma das bandas que integram a playlist no site do Museu, junto a nomes como Roberto Carlos, Leci Brandão, Alexandre Pires e outros.

Formado pelos músicos Bruno Barbosa (contrabaixo), Marcelo Toledo (saxofone) Duda Lazarini (bateria) e Murilo Barbosa (piano elétrico), o grupo surgiu com o propósito de manter viva a cultura da música instrumental, trazendo influências da música brasileira que passam pelo baião, bossa-nova, samba-jazz e gafieira e da música afro-latina e caribenha.

Duda, um dos fundadores do quarteto, conta que o nome surgiu como referência à cidade de Ribeirão Preto, que por muitos anos foi um dos maiores polos de produção de café do Brasil. “Fazemos uma brincadeira com o nome da banda dizendo que a cidade surgiu ao redor do café, mas, com o atual domínio das plantações de cana, do café só sobrou o pó”, relata o baterista. Vale conferir o site do museu: www.museudesantos.org.br. Que tal uma boa xícara de café para ouvir as canções? 

Foto: Arquivo Quarteto Pó de Café

Publicado em: 26/02/2018 por Café UTAM S.A.

Ultimas Notícias

O Grupo Utam, 100% brasileiro e presente no mercado nacional há quase 50 anos, com constantes investimentos ao longo de sua história, assumirá as...
Veja Mais.

Tradicionalmente no mês de setembro, os amantes do hipismo brasileiro têm um encontro marcado na Semana da Pátria: o Aniversário do Clube Hípico...
Veja Mais.

Evento contou com demonstração de produtos Utam em máquina Astoria, com presença do barista Eder Garcia No último dia 4 de setembro...
Veja Mais.

Copyright © 2018 Café Utam
Telefone:
Matriz: Ribeirão Preto - SP – 16 2101 3101
Filial: Piumhi - MG – 37 3371 2544
São Paulo - 11 3660 1770
Belo Horizonte - 31 3416 7774
Informações da Empresa | Contato
logo PI